recife resiste!


Chuva, Enchentes e Revolta
20/06/2010, 10:16
Filed under: digressões | Tags: , ,

Recife e grande parte do estado de Pernambuco receberam uma grande carga de chuva durante esta última semana, o que se esperava chover em um mês foi ultrapassado em menos de 7 dias. Constatamos uma primeira revolta, uma revolta da natureza. Segundo metereólogos essa pancada de chuvas é, no mínimo, incomum. Normalmente as chuvas começam pelo fim de março, no entanto, esse ano, após um dos verões mais quentes, as chuvas ainda não tinham chegado efetivamente, mesmo nos encontrando em meados de junho.

Já no último fim de semana as gotas caíam com raiva, como se quisessem furar o asfalto e encontrar uma terra que as absorvesse. Em diversos pontos, com muita força e nunca sozinhas, as gotas venceram o asfalto e o concreto encontrando minimamente um espaço para fechar um ciclo e garantir a retroalimentação da natureza. Se pegarmos o princípio básico da permacultura, os ciclos naturais, vê-se que devemos a cada ação tomada fechar um ciclo, por exemplo: dos alimentos deve-se aproveitar tudo, desde seus restos até tornar as fezes em adubo. Garantir que não haja desperdício. Para os adeptos da permacultura o princípio dos ciclos pode ser abrangido e a chuva que trás as gotas revoltadas tem que encontrar a terra para ajudá-la na fertilização, dar frutos, frutos tornarem-se comida… Todavia, nossa sociedade não nos permite fechar os ciclos, a lógica do consumismo, do desenvolvimento incessante nos obriga a rompê-los. Produzimos mais do que necesitamos, estragamos boa parte dessa produção, perpetuamos um sistema econômico que mata e destrói a natureza.

Voltando às gotas, elas são uma prova de que a natureza começa a rebelar-se. Assim como as ondas que querem tomar suas terras roubadas e as gotas que com fúria tentam encontrar seu destino temos ocupações urbanas que lutam por sua moradia e professores e professoras que buscam um trabalho que se assemelhe menos à escravidão. A revolta existe e é necessária.

Só nessas chuvas 10 pessoas já foram mortas e pelo menos 12 mil estão desabrigadas. São números que mostram o quão furiosa foi essa revolta das gotas, além de também comprovar como as classes subalternas são sim as excluídas deste sistema. A cidade projeta-se a fim de esconder a pobreza entulhando os pobres em locais com péssimas condições de sobrevivência. Dos 12 mil desabrigados não econtraremos nenhum que more em algum bairro burguês da cidade, não por coincidência. Sorte nossa que várias pessoas já perceberam isso e não revoltaram-se com as gotas, mas sim com o Estado. Nossa revolta é a mesma.

Moradores de Ciaxa d’água protestaram semana passada por terem tido suas casas invadidas durante as enchentes. Outro protesto está marcado para segunda-feira dos moradores do Córrego do sargento, onde 5 pessoas morreram após o deslizamento de uma barreira. Essa revolta é necessária para a transformação, façamos como as gotas que juntas conseguiram minimamente serem ouvidas.

Recife resiste!

Anúncios

1 Comentário so far
Deixe um comentário

Gostei. Você tá de parabéns pelo blog. Continue com o bom trabalho!

E vamos à luta!

Comentário por Bob




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: