recife resiste!


Movimento de Luta pelo Teto faz protesto em Olinda
21/08/2011, 11:42
Filed under: notícias | Tags: , , ,

Integrantes do Movimento de Luta pelo Teto (MLT) realizam protesto durante esta sexta-feira (19) em frente ao Fórum de Olinda. Eles reivindicam o direito de voltar para os prédios localizados no bairro de Jardim Fragoso, dos quais tiveram que sair na ultima terça-feira (16), por meio de mandado de reintegração de posse.

Eles pretendem apresentar o laudo, assinado por engenheiro, que garante não haver riscos estruturais nos prédios. Ao toto são pelo menos 120 famílias que ficaram desabrigadas após o mandado de reintegração de posse que fez os integrantes saírem dos imóveis.

O grupo exige que ao menos possa ser disponibilizado o auxílio moradia para as famílias que estão sem casa. Caso não seja realizado um acordo, eles pretendem acampar em frente ao local.

Mídia corporativa: NE10



Moradores arrecadam dinheiro e iniciam serviço de pavimentação em Olinda
16/08/2011, 12:02
Filed under: notícias | Tags: , ,

Uma obra que na prática deveria ser executada e custeada pela Prefeitura de Olinda, mas, do contrário, moradores se juntaram e deram início aos serviços de pavimentação que, segundo eles, há mais de 30 anos não recebem os devidos reparos. O problema, que demonstra a falta de atenção junto à população, foi constatado pela equipe de reportagem da Folha dePernambuco durante passagem por algumas ruas da 4ª e 5ª etapa do bairro de Rio Doce, em Olinda.

Lá, a população sofre tanto pela falta de pavimentação quanto pela existência das mesmas, mas sem a manutenção devida há anos, como afirmam. Na estrada Velha de Paulista, que liga uma etapa a outra, por exemplo, em quase toda a sua extensão, buracos se estendem ao longo da avenida. Além disso, em uma parte desta via, moradores realizavam, no último fim de semana, serviços de pavimentação por conta própria devido à falta de ações da gestão municipal.

Segundo um morador e comerciante da área, Luis José da Silva, 57, a iniciativa partiu dos próprios populares cansados de esperar pelos reparos. “A comunidade está se mobilizando para fazer a pavimentação, porque o prefeito não faz nada. Há mais de 30 anos esperamos e não fazem reparos aqui. A população se juntou e comprou os materiais. Um chega e dá um dinheiro, outro vem e dá mais um. Eu pego o dinheiro e compro os materiais. Já faz uns 15 dias que estamos fazendo este serviço”. Ainda de acordo com Luis, em várias ocasiões a prefeitura foi informada sobre o caso. “Já ligamos várias vezes para eles, mas não vêm”, acrescentou.

Continue lendo



Imprevisível Interferência Sonora em Olinda

Continue lendo



Integrantes do MLT ocupam conjunto residencial em Olinda próximo onde desabou dois edifícios

Cerca de 176 famílias do Movimento da Luta pelo Teto (MLT) ocuparam, no início da manhã desta sexta-feira (29), edifícios do Conjunto Residencial Jardim da Praia, no bairro de Jardim Fragoso, em Olinda. A polícia foi acionada por volta das 4h e retirou os integrantes do local. Entretanto, quando os oficiais se retiraram, os participantes do MLT retornaram uma hora mais tarde ao local, que foi condenado pela Defesa Civil, em 2002.

Integrantes do movimento dizem que foram agredidos pela polícia no momento da retirada. Cinco viaturas da Polícia Militar monitoram o local. A assessoria da PM informou que ninguém foi preso e que nenhuma ordem de despejo foi emitida. Os integrantes disseram que só se retiram do local com a emissão da reintegração de posse.

Formado por 11 prédios com 16 apartamentos cada, o conjunto residencial abrigava os edifícios Érica e Serrambi, que desabaram. O acidente no Érica aconteceu em 1999 e deixou quatro pessoas mortas. Todas as moradias são do tipo caixão estão abandonadas e condenadas já há alguns anos. O Conjunto é de propriedade da Caixa Econômica Federal, que deve se pronunciar e negociar com o MLT.

Mídia corporativa: Folha de Pernambuco



Mija aqui: AMBEV ameaça morador de Olinda e Xs Vizinhxs contra-atacam
07/03/2011, 18:11
Filed under: notícias | Tags: , , ,

A ação “Mija Aqui”, protagonizada por Xs Vizinhxs, de Olinda, deixou irritada a AMBEV. Um dos moradores da cidade – que pede para manter seu nome oculto – divulgava a ação em seu Facebook e foi ameaçado com uma notificação extrajudicial.

Abaixo segue o comunicado de resposta dxs Xs Vizinhxs:

.

Olinda, 07 de Março de 2011 – pleno Carnaval

A AMBEV

Somos nós que temos que os denunciar, não o contrário! Somos nós que queremos defender a nossa cidade, o nosso carnaval, vocês só querem grana. Transformar o Sítio Histórico num sítio Skol é o seu sonho de marca. Esse é o seu contributo à cultura! Nos acusam de pichar patrimônio histórico? Isso é o cúmulo da arrogância, só pichamos suas placas publicitárias, acaso consideram isso patrimônio histórico? A Unesco já foi informada de tal?

Outra acusção: a de mijar na sua “infra-estrutura”… algum humano conseguiria mijar 3 metros acima da sua cabeça? Isto foi um protesto! Talvez algum dia consigam pintar todas as casas de Olinda de amarelo e vermelho, talvez até consigam forrar de publicidade o dente de ouro do Homem da Meia Noite, mas não conseguirão nunca silenciar nossas vozes.

Não pararemos nossas ações até que:

1. Emitam novo notificado, pedindo desculpas ao morador que ameaçaram;

2. Retirem todas as placas publicitárias da cidade, tal como se dignaram fazer com aquelas atacadas pelo nosso Mija Aqui;

3. Devolvam todas as latas de tinta amarela que ainda os resta; com a tinta vermelha podem continuar pintando…

Para contribuir à causa, nos reunimos com Sheik-Shiko (na foto, no Largo do Amparo, junto com dois xs vixinhxs e mais uma placa Miija Aqui na Skol), que se comprometeu a financiar todas as atividades dxs xs vizinhxs.

Difusos e desorganizados…. somos qualquer um…. até mesmo aí ao lado, dentro do vosso camarote vip.

.

Continuação de bom Carnaval,

Xs Vizinhxs



Mija Aqui – Carnaval Olinda 2011
05/03/2011, 10:07
Filed under: notícias | Tags: , , ,

Chega o Carnaval e Olinda transforma-se em negócio sujo. AMBEV e Prefeitura fecham contrato de exclusividade, através de uma lei municipal especial, que permite a Skol tomar conta da cidade em troca de R$3 milhões, que ninguém sabe quem mete ao bolso.

A AMBEV, empresa que fábrica a Skol, aproveita: coloca sinais exteriores de publicidade em todos os bares e botecos da cidade, monta depósitos de bebidas em pleno sitio histórico, paga a fiscais que se dedicam a aterrorizar os ambulantes, perseguindo e confiscando qualquer marca de cerveja que não seja Skol, e pinta a cidade histórica com as suas cores vermelho e amarelo, o que constitui uma descarada mensagem publicitária subliminar, sem que o IPHAN levante qualquer problema…

Não julguem eles – AMBEV, Prefeitura e IPHAN – que todos os moradores são cúmplices! Como forma de protesto, lançamos uma mensagem aos milhares de mijadores de rua de Olinda para se unirem aos moradores. O problema não é mijar, é mijar no lugar errado. Não mijem em nossas casas, o lugar certo é mijar na Skol, a patrocinadora oficial do mijo de Olinda.

FORA DE OLINDA, PORCOS CAPITALISTAS!

Salve a verdadeira Cultura Popular!

Salve os imortais cantadores de rua!

Xs Vizinhxs

Fonte: Mangue Crew PE



Manifestantes fecham Avenida Presidente Kennedy, em Olinda
07/02/2011, 17:40
Filed under: notícias | Tags: , ,

Educadores e alunos do projeto Protejo realizam um protesto, na manhã desta segunda-feira (7), em Peixinhos, Olinda. Eles fecharam as duas vias da Avenida Presidente Kennedy e atearam fogo em pneus e madeira no local. O trânsito está complicado e Policiais Militares estão no local. Uma equipe do Corpo de Bombeiros também chegou para tentar controlar o fogo.

Os manifestantes reivindicam contra a interrupção do projeto, que atende a cerca de 500 jovens em situação de vulnerabilidade social com idade entre 15 e 24 anos na comunidade de Peixinhos.
De acordo com o coordenador do Projeto, Hamilton Feijó, o local onde as aulas eram realizadas está trancado desde janeiro. Eles tentaram uma conciliação com o Governo do Estado, mas a situação está insutentável. “Os alunos carentes da comunidade estão sem o espaço, sem as oficinas, sem os lanches e ainda vão ficar sem o Bolsa Família. Infelizmente, não pudemos mais segurar o protesto”, contou.

Mídia Corporativa: JC Online